GOVERNAMENTALIDADES E BIODESIGUALDADE

A governamentalidade, no viés foucaultiano, deve ser entendida como um ato, como sentido de direção e conduta dos homens, dos mecanismos e procedimentos que são usados para atingir tal fim. O ser humano do século XXI é submetido e sujeitado a diversas formas de governamentalidades: a governamentalidade biopolítica, a governamentalidade algorítmica, a governamentalidade genômica e a governamentalidade bélica se complementam nos processos de subjetivação contemporâneos. A governamentalidade biopolítica é a forma de governar as condutas através dos dispositivos de segurança, cujo papel principal cada vez mais é realizado pelas finanças.

A governamentalidade algorítmica (Rouvroy & Berns) deve ser entendida como uma racionalidade que se inclina à coleta e análise dos dados informacionais visando uma modelização e antecipação dos comportamentos possíveis. A governamentalidade genômica é a forma racional de agir sobre a espécie humana em termos genéticos, de transformar a vida orgânica, a vida do “homem-espécie”. A governamentalidade bélica, por sua vez, aquela que está no limite entre uma relação de poder e uma relação de violência (escravidão), cujos dispositivos utilizados são os mais variados possíveis, mas que, em geral, procuram anular as forças do adversário e torná-lo vencido. Essas governamentalidades somadas acarretam na Biodesigualdade que deve ser entendida como uma ulterior desigualdade. Se a “propriedade”, seja de bens, seja de capital, sempre foi um pré-requisito para a (des)igualdade nas sociedades capitalistas, e se nota-se uma mudança do centro de gravidade da sociedade da “posse” para o “acesso” – desmaterialização –, também deve-se deslocar a análise da desigualdade por diferença de rendimentos e riqueza para a questão das oportunidades de acesso: a desigualdade poderá se dar de acordo com o acesso – às melhorias genéticas, aos upgrades biocibernéticos – enfim, será através da “composição corporal” que a análise da Biodesigualdade deverá ter sentido.

Governamentalidades e biodesigualdade: novas relações de poder e novas formas de existência no século XXI

Gustavo Gumiero

Editora: ‎ Scortecci (2021)

Idioma: ‎ Português

Capa comum: ‎ 208 páginas

ISBN-10: ‎ 6555294523

ISBN-13: ‎ 978-6555294521